Workshops

2 Novembro 2017 — diversos locais

A inscrição nos workshops é paralela às conferências, não necessitando de inscrição no 8ET.

 

W1. Making Pixel Fonts

Formador: Rainer Scheichelbauer (Áustria)

 

Introdução fácil ao desenho tipográfico e à tecnologia de fontes, usando o software “Gliphs”. Será realizada uma fonte fácil e rápida e uma animação simples através de recurso OpenType.

Traz o teu computador portátil com Glyphs 2 pré-instalado:

http://updates.glyphsapp.com/latest2.php

https://glyphsapp.com

 

N.º inscrições: 6 a 12 Realizar Inscrição

Preço: 20€

Local: ESEC- UAlg (Campus da Penha, 8005-139 Faro)

Horário: 14:00-18:00 (duração 4h)

Público-alvo: Não-designers e estudantes

-----

Rainer Erich (‘Eric’) Scheichelbauer nasceu em Viena. É um fotógrafo experiente que possui duas licenciaturas: uma em Filosofia; outra em Estudos Alemães. É criador de typefaces, trabalha como gravador de punções digitais para outros designers de tipos e orienta workshops de design de tipos, numa base regular. Desde que se juntou à equipa da Glyphs em 2012, tem escrito artigos, tutoriais e Python scripts, assim como o blog e respectivo manual. Vive e trabalha em Viena, onde dirige o seu type studio Schriftlabor.

https://glyphsapp.com

 

W2. Oficina de Cartaz Letterpress

Formador: “Família Plomez” (Espanha)

 

Consiste no design, composição e impressão de cartazes utilizando tipos de madeira, através da técnica de impressão artesanal conhecida como letterpress. Os participantes, em grupo, terão a oportunidade de realizar uma pequena tiragem das suas composições.

 

N.º inscrições: 8 Realizar Inscrição

Preço: 65€

Local: ESEC- UAlg (Campus da Penha, 8005-139 Faro)

Horário: turno I: 9:00-13:00  / turno II: 15:00-19:00 (duração 4h)

Público-alvo: Estudantes e Profissionais interessados em tipografia e design gráfico.

-----

El objetivo principal de este taller es el diseño, la composición y la impresión de carteles utilizando tipos de madera mediante la técnica de impresión artesanal conocida como letterpress.

Trabajar con tipos móviles permite tomar mayor consciencia de la tipografía y su tratamiento, además de poner en valor el espacio que se convierte en un elemento activo que permite armar la composición.

El formato cartel y los tipos de maderas en diversos tamaños permiten crear composiciones más expresivas del mensaje tipográfico, aunque se debe tener en cuenta las limitaciones propias de la técnica empleada y también el material de imprenta (muchas veces muy antiguo y desgastado). Esto produce unos resultados únicos y en algunos casos imperfectos que dan un encanto especial a estas piezas impresas.

Diseñar con tipos móviles supone tener en las manos una parte de la historia del Diseño convirtiéndose en una experiencia no sólo didáctica, sino también lúdica.

Los participantes trabajarán en pareja y plantearán conjuntamente el diseño de un cartel que producirán con el material disponible. Tendrán la posibilidad de realizar una pequeña tirada de su diseño para que puedan llevarse sus ejemplares, dejando uno de muestra para la organización.

 

Programa

INTRODUCCIÓN

1.- Explicación del material a utilizar y la manera de componer.

CON LETRAS GRANDOTAS

2.- Creación de composiciones tipográficas para cartel (se recomienda traer pensados   pequeños textos, frases, eslóganes, etc…)

3.- Pruebas y correcciones

4.- Impresión de tirada corta en máquina plana.

CADA COSA EN SU LUGAR

5.- Desmontaje, limpieza y distribución del material.

 

Consejos Prácticos

- Se ruega puntualidad.

- Llevad pensada una frase corta de entre 4 o 5 palabras para hacer el cartel.

- Llevad ropa cómoda y que no os importe que se manche. Un mandil o una bata también vienen muy bien.

- El trabajo se realizará en parejas. Primero uno compone su texto, lo ajusta, hace pruebas, corrige y hace una pequeña tirada. Luego se rota. Sed colaborativos. Es un trabajo de equipo y tenemos un tiempo limitado.

- Cuidad el material. Es muy antiguo y no tiene repuesto.

- Tras terminar, hay que ayudar a limpiar y recoger a los profesores ya que el que viene detrás necesita tener el material preparado para su uso.

- Recordad que la técnica de impresión tipográfica o letterpress tiene muchas limitaciones, pero precisamente es eso lo que la hace más bella y atractiva.

- Las letras son las que son y son como son, es decir, no se puede disponer de la enorme variedad que tenemos en el ordenador y tampoco se pueden reducir de tamaño o aumentar, ni ensanchar ni estrechar.

- Nos olvidamos del sistema de medida en milímetros. En la imprenta se funciona en cíceros y puntos. Se trata de un sistema duodecimal y todas las piezas son múltiplos de 12, 6, 4 y 3, generalmente.

- La impresión perfecta no existe. Cada ejemplar es distinto. Y eso es lo que la hace especial. No ser excesivamente perfeccionistas y pensad en que vuestro compañeros está esperando su turno o que después llega el otro turno del talle- Si una letra está más desgastada, la "calzamos" con papel o bien buscamos otra que esté menos desgastada.

- Puede ocurrir que haya alfabetos incompletos. Así que se buscarán otras alternativas. Por ejemplo, con otra tipografía que tenga la misma medida o bien si no tenemos una "E" la sustituimos por un "3" dado la vuelta o una "M" en posición vertical... Hay que agudizar el ingenio ante las limitaciones.

- Para separar palabras utilizaremos regletas que tengan la misma medida que la tipografía que hayamos seleccionado. Por ejemplo, tipo de 20 cíceros > regleta de 20 cíceros.

- Para ajustar la composición tipográfica nos ayudaremos de material de imposición, imanes y cuñas. Aunque como imprimimos en máquina plana el ajuste no tiene que ser perfecto.

¡A MANCHARSE DE TINTA!

 

Podéis ver el Tinglao que se monta en:

TALLER TYPE ON VALLADOLID

TALLER COLA POSTER WEEK

TALLER JORNADAS ALTERA

TALLER ESCUELA ARTE MATEO INURRIA

 

W3. A expressão das palavras? Oficina de gravura em água-forte na OBS.

Formador: Sofia Morais (Portugal)

 

A oficina pretende dar um conhecimento base da técnica de gravura (água-forte), assim como dos materiais, ferramentas, processos técnicos e as suas potencialidades expressivas. Convidando o participante a explorar esta técnica com a maior liberdade possível adaptando-a à sua linguagem individual.

 

N.º inscrições: 6 a 12 Realizar Inscrição

Preço: 65€

Local: Oficina Bartolomeu Cid dos Santos, Tavira (transporte incluído, saída ESEC-UAlg 8:15)

Horário: 9:00-13:00 + 14:00-18:00 (duração 8h)

Público-alvo: Estudantes 3.º Ciclo /Profissionais/Outros

 

Programa

E se o som ou conjunto de sinais gráficos que representam uma palavra nos for totalmente desconhecido, como o interpretamos? Como podemos comunicar ou expressar o que desconhecemos? Que significado daremos a termos e vocábulos escritos noutra língua, noutro alfabeto?

Partindo de um desconhecimento total sobre o significado das palavras que irão ser apresentadas (em diversas línguas e alfabetos), propõe-se novas interpretações a partir da sua morfologia, composição ou sonoridade, construindo assim experiências gráficas com um novo significado, criando novas linguagens e outras formas de comunicar, encontrando, provavelmente, aquilo que nos une na diversidade.

A experiência gráfica será desenvolvida na técnica de água-forte sobre zinco e impressa em formato postal (10x15), permitindo criar uma coleção de palavras com expressões e linguagens próprias de cada um.

---

Sofia Morais nasceu em 1979, em Lisboa, onde vive e trabalha. Licenciada em Design de Comunicação, pelas Belas Artes de Lisboa, é designer gráfica e ilustradora freelancer. Um curso com a ilustradora Isabelle Vandenabeele muda a sua visão sobre a ilustração, e leva-a a descobrir e entregar-se à gravura no atelier Contraprova, do qual faz parte desde 2015. Para além do seu trabalho como designer e ilustradora também dá oficinas de ilustração e gravura. Em 2014 foi distinguida com uma menção honrosa no Encontro Internacional de Ilustração de São João da Madeira. E recentemente integrou a Mostra de Ilustração Portuguesa, dentro da Festa da Ilustração de Setúbal. Expõe regularmente o seu trabalho com coletivos e tem colaborado em diversas publicações e projetos. 

 

W4. Impressões do Algarve

Formador: Inês Barracha /MODO (Portugal)

 

Criação tipográfica experimental através de várias técnicas de impressão manual.

Com base em elementos decorativos tradicionais algarvios, far-se-á a construção de carimbos para desenvolver letras a partir de texturas.

 

N.º inscrições: 10 a 15 Realizar Inscrição

Preço: 30€

Local: ESEC- UAlg (Campus da Penha, 8005-139 Faro)

Horário: 9:00-13:00 (duração 4h)

Público-alvo: + 15 anos idade

 

Programa

Criação tipográfica experimental através de várias técnicas de impressão manual.

Com base em elementos decorativos de platibandas tradicionais algarvias, os participantes vão construir um conjunto de carimbos que lhes permitirá criar novos tipos de letra e simultaneamente explorar o potencial plástico da impressão manual de diferentes texturas.

Os exercícios vão ser desenvolvidos com base no trabalho do fotógrafo Filipe da Palma.

----

MODO é um espaço neo rural, de criação e experimentação artísticas, localizado na margem da Ribeira de Boina, em Portimão. É simultaneamente atelier, galeria, espaço de formação e convívio. Promove a criação, mostra e venda de projetos artísticos. Além da coleção de obras para venda, oferece serviços numa série de áreas criativas: Produção de Eventos, Pintura, Ilustração, Design de Comunicação e Design de Interiores. O MODO desenvolve ateliers de formação que combinam momentos de formação com lazer. Um dos objetivos destes ateliers é recuperar o saber popular, de várias áreas das artes e ofícios da cultura portuguesa e outras, e adequá-lo às necessidades e modo de vida de uma realidade contemporânea.

http://www.modo.pt

 

W5. Iniciação à Tipografia Digital

Formador: Tiago Navarro Marques (Portugal)

 

Este workshop é direcionado a todos aqueles que pretendam ampliar os seus conhecimentos na área da tipografia digital. Estruturado com base numa formação inicial sobre a edição de fontes, será feita uma passagem sobre de boas práticas de construção ótica, a partir do desenho, bem como toda a transição requerida para colocação dos caracteres em funcionamento/comunicação.
Em termos de objetivos, na primeira metade deste workshop os alunos terão oportunidade de aprender a construir uma relação ótica entre caracteres e sua aplicação adequada. No final desta ação pretende-se que sejam capazes de editar, alterar/manipular e sistematizar uma pequena coleção caracteres.

 

N.º inscrições: 6 a 12 Realizar Inscrição

Preço: 20€

Local: ESEC- UAlg (Campus da Penha, 8005-139 Faro)

Horário: 9:00-12:00 + 14:00-17:00 (duração 6h)

Público-alvo: Estudantes 1.º e 2.º ciclos

 

Estrutura

PARTE I
Considerações gerais
1. O sentido de uma nova tipografia
2. Por onde começar - Metodologia
3. Formulação de ideias – da caligrafia ao glifo
4. Definição da forma – proporção vs espessura


PARTE II
5. Definições digitais – determinações no sistema (FontLab)
6. O processo de desenho


PARTE III
7. O projeto – vogais: criação de uma coleção digital (aplicação dos conhecimentos adquiridos)

 

Materiais Necessários (+ Requisitos)

PARTE I + II
PC ou MAC
FontLab Studio
( Demo version: https://www.fontlab.com/font-editor/fontlab-studio/ )


PARTE III
PC ou MAC
FontLab Studio
Illustrator
Bloco de desenho
2x Lápis

-------

Tiago Navarro Marques, PhD em Design. Designer e investigador, tem-se dedicado a estudos relacionados com a tipografia digital e imprensa; é doutor em Belas-Artes, variante de Design/Tipografia pela Universidade Politécnica de Valência; Mestre em Tipografia, Disciplina y Usos pela Universidade de Barcelona; licenciado em Design de Comunicação e Técnicas Gráficas pelo Instituto Politécnico de Portalegre; possui ainda um Máster em Design e Produção Gráfica pela Universidade de Barcelona. Atualmente é professor auxiliar na Universidade de Évora, pertencente ao Departamento de Artes Visuais e Design da Escola de Artes; Foi professor adjunto na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (2003-12); Entretanto, colaborou com a Escola Tecnológica e Profissional Albicastrense (2007-09), Universidade do País Basco (2008) e Universidade de Barcelona (2011). Iniciou a sua atividade enquanto designer gráfico em 1995, colaborando em diversas empresas destacando-se a Criaturas e Publicidade (Lisboa) e Olinger & Strauer agence de publicité (Luxemburgo). Referência para alguns projetos desenvolvidos para clientes como o Banque Genérale du Luxenbourg, Athletic Club de Bilbao (Museu), Câmara Municipal de Castelo Branco e Scutvias - autoestradas da Beira Interior. É colaborador do Centro de Estudos de História do Livro e da Edição (Lisboa), Instituto Ibérico de Design (Barcelona) e Centro de Investigação da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do País Basco (Bilbau); Diretor e fundador da revista científica Grafema (ISSN 1647-1024; Centro de Estudos Aplicados ao Design); Codiretor da revista científica Deforma (ISSN 2253-8054; Editorial Sendemà, Valência).